Tudo o Que Você Precisa Saber Para Desenhar Poses Dinâmicas

Tudo bem? Hoje nós veremos quase TUDO que está relacionado com a como desenhar poses dinâmicas.

Ai você me pergunta “tá mais o que é uma pose dinâmica?”

Uma pose dinâmica é nada mais nada menos do que gestos de ação que a gente faz ou um personagem de anime faz desse jeito:

 

Olha, como você pode perceber nesta imagem do Sasuke e o Naruto ambos estão em uma pose de ação no caso uma postura de luta é a que eles estão.

Então isso é uma pose dinâmica agora vamos aprender a como você pode fazer a sua pose dinâmica.

Pronto, agora quero te falar o que vamos abordar nesse post.

E vai ser o seguinte:

  • Compreendendo a Figura
  • Observação
  • Força e ritmo
  • Linhas de ação
  • Construção
  • Perspectiva
  • Linhas essenciais
  • Como Melhorar

Então bora la pro conteúdo…


Compreendendo a figura

Para você saber tudo o que você precisa saber para desenhar poses dinâmicas, você não precisa levar sempre um livro de anatomia com você.

Não é tão difícil quanto parece: observação e prática são suas melhores ferramentas.

Se em algum momento você ficar curioso em tentar algo novo (o que eu espero que você faça), nunca é demais dar uma olhada naquele livro de anatomia.

Mesmo que seu estilo de desenho esteja longe de ser realista, os aspectos que tornam uma pose interessante e confiável permanecem os mesmos: força, ritmo, linhas de ação, construção e perspectiva.


Observação

Sua referência mais próxima é você mesmo. Se você se olhar em frente a um espelho e começar a se mover, notará que seu corpo funciona como um único elemento.

Quando você levanta um braço, o braço não é a única parte do corpo que se move, ao contrário de como funcionam as extremidades removíveis das bonecas. As mudanças em seu corpo não lembram a figura A, certo?

Por exemplo, seu ombro também se eleva e muitas outras partes de seu corpo se adaptam ao movimento como na figura B.

Observar é isso: prestar atenção aos detalhes e às características do corpo. 


Força e ritmo

Seus personagens se movem graças à sua força interior.

Eles podem andar, pular, dançar … o que vier na cabeça!

Mas, a menos que estejam flutuando no espaço, não é a única força que atua sobre eles, pois a gravidade faz com que seus pés fiquem na terra.

Quando duas ou mais forças interagem entre si, um ritmo é estabelecido, o que fornece equilíbrio e sentido ao movimento.

Se seu personagem for empurrado para a esquerda, seu corpo cairá naquela direção (A), a menos que ele opere resistência para se manter (B).

Se o personagem quiser puxar algo que se recusa a se mover, seu corpo se inclina na direção oposta.

Obviamente, assim que o gato ceder à força, seu personagem cairá, pois o gato o manteve de pé.

Força e ritmo fornecem muitas informações visuais com as quais você pode trabalhar: o peso de seu personagem (1), o equilíbrio de sua pose (2) ou a falta dela (3).


Linhas de ação

A linha de ação é o guia imaginário que indica o movimento do seu personagem.

Concentra-se nas ações e ajuda a unificar a figura inteira.

Abaixo você pode ver alguns exemplos em que força, ritmo e linhas de ação interagem.

Exemplo 1:

A personagem (1) tem uma postura relaxada, apoiada no braço direito.

Na figura (2), podemos observar sua linha de ação, que cobre todo o seu corpo até os pés.

A forma é ligeiramente semelhante a um S.

Percebe-se que é uma postura relaxada porque seu peso repousa sobre um único ponto (3) e tudo o que ela precisa é manter o equilíbrio com o pé esquerdo, que fica tenso enquanto o direito repousa.

Exemplo 2:

A próxima pose é mais dinâmica, então há mais coisas acontecendo nesta imagem.

Desta vez, você pode ver três linhas de ação, mas as mais importantes são (1) e (2), aquelas que realmente contam a história. 

O primeiro cobre toda a figura da cabeça aos pés, e o segundo vai na direção oposta, mantendo o equilíbrio e formando um X.

O terceiro simplesmente proporciona maior estabilidade para a pose.

Neste desenho podemos perceber que existe uma força que empurra a personagem na direção oposta ao seu olhar.

Elementos como o cabelo, as roupas e a poeira do chão sugerem que a força vem do lado direito e, como esses elementos são leves, são afetados pela velocidade com que essa força atua.

No entanto, essa garota quer superar essa força com sua própria força.

Ela não tem intenção de perder a luta.

Exemplo 3:

Desta vez, nosso personagem é um jogador de beisebol.

Ele está girando o corpo para obter impulso suficiente e contrariar a força da bola para acertá-la para longe. 

Você não tem a impressão de que será um home run, embora você ainda não tenha visto como a cena termina? É a magia da antecipação.

Se você souber como lidar adequadamente com as linhas de força, ritmo e ação, será capaz de guiar o espectador ao longo do caminho que você definiu. Isso é muito importante para qualquer artista de quadrinhos.

É importante que você não sobrecarregue seu desenho com muitas linhas de ação, porque isso pode confundir a intenção do personagem, fazer a força ir em direções diferentes e tirar a ênfase da ação mais importante.


Construção

O corpo é bastante complexo e é difícil desenhar proporções corretas e se afastar do plano 2D.

Recomendo que você molde uma base que o ajude a discernir o volume de cada elemento.

Para isso, usaremos figuras geométricas como esferas, cubos e cilindros para representar a estrutura do corpo.

Essas figuras podem ser giradas, esticadas, flexionadas e torcidas livremente de acordo com a pose.

Essas figuras representam a direção dos diferentes elementos do corpo.

Deve-se prestar atenção especial aos limites das articulações, já que em determinado ponto é preciso girar ou torcer o corpo para continuar se movendo naquela direção, mudando drasticamente a postura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com a prática, esse processo fica mais simples. Quanto melhor você entender como as figuras funcionam, menos guias você precisará.


Perspectiva

A perspectiva transforma o plano 2D em 3D e adiciona mais profundidade e riqueza visual à composição do que apenas olhar para ela de um plano frontal.

O nível dos olhos ou linha do horizonte representa a altura real dos olhos do observador (1), e os pontos de fuga são as linhas projetadas de um ponto no horizonte (2).

A imagem a seguir apresenta uma perspectiva com dois pontos de fuga com os quais podemos apreciar duas faces da figura.

O corpo é mais complexo, mas o princípio é o mesmo.

Por exemplo, os pés e as mãos desta figura são menores devido à perspectiva, e até nos sugerem como devemos projetar as linhas do ponto de fuga.

 

As poses de ação sempre parecem mais dramáticas quando a perspectiva é exagerada.

Mesmo quando as poses não são totalmente realistas, as figuras parecem verossímeis e as cenas parecem mais interessantes.

 

Eu recomendo que você pratique e leia sobre perspectiva tanto quanto possível, pois não é algo que você pode dominar em um dia.

Analise quantas referências você puder.

Eventualmente, você acabará vendo pontos de fuga em todos os lugares.


Linhas essenciais

Você pode acelerar e melhorar suas habilidades de observação desenhando poses usando fotos ou pessoas reais como referência e definindo um limite de tempo curto para isso.

O objetivo é capturar as informações essenciais da figura e, claro, desenhar o máximo de poses possíveis.

Este exercício também o ajudará a aumentar sua confiança ao desenhar.

Não tenha medo de desenhar a primeira linha e, mesmo se cometer um erro, evite apagá-las.

Tente focar e desenhar linhas claras e claras.

Abaixo você pode ver alguns exemplos de poses que desenhei em 45 a 60 segundos:

No início, concentre-se em desenhar todo o corpo com linhas suaves.

Então, se você tiver mais tempo, detalhe e construa melhor a forma.

Não tenha medo de desenhar o que você não vê ou o que está escondido, pois isso lhe dará uma ideia melhor da estrutura da figura.

Tente exagerar as linhas. Isso os torna mais suaves e confiáveis, por mais louco que pareça.

A menos que o modelo esteja em uma postura muito rígida, tente evitar linhas retas.

As poses mais naturais são construídas com curvas.


Como Melhorar

Nada mais do que Prática, Prática, Prática!

É uma opção ir a aulas de desenho com modelo ao vivo.

Nem sempre é possível, mas não há nada como desenhar a partir de um modelo real.

Na faculdade de artes alguns amam aulas de desenho ao vivo.

Elas variam de estudos de anatomia a poses de 30 segundos para estudo de movimento.

Neste último a modelo podia mudar a pose, frequentemente com um adereço como um bastão ou talvez um pano.

Você nunca saberá o que vem a seguir! No final da sessão matinal de algumas horas tinham páginas e páginas de esboços.

Isso ajudou muitos a capturar o movimento e o gestual a melhorar rapidamente!

Um modo divertido de praticar é assistir filmes e pausar as cenas com alguma ação legal e tentar capturar a pose.

Tente colocar tempo para você mesmo.

Você tem que viajar diariamente ou algum tempo em seu horário de almoço sem acesso a uma aula de desenho com modelo vivo? Experimente um pouco de desenho de observação!

Olhe pela janela do ônibus e tente capturar poses, isso é bom já que você pode sentar e analisar a pose, voltar e redesenhar.

Encontre uma mídia que funcione para você.

Quando não estou trabalhando digitalmente eu gosto de usar canetas pincel.

Elas não precisam ser caras, apenas canetinhas infantis já está ótimo.

Uma vantagem de ter cores diferentes é que você pode fazer sua linha de ação de uma cor e a pose de outra.

Poses rápidas não tem que se parecer com humanos também.

Tem um bicho de estimação? Mora perto de uma fazenda? Aplique estes mesmos princípios ao gato Tabby ou a vaca Daisy.

O mais importante: Mantenha isso simples.

Lembre-se que não tem que ser anatomicamente perfeito, é apenas o caso de encontrar movimento e fluidez.


Bom por hoje é só isso que tenho a te dizer

Espero de coração que esse artigo tenha te ajudado de alguma forma…

Te vejo na próxima até mais…

Um grande abraço,

Miguel Messias – meuanimeart.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.